Faltam 800 MIL EUROS para Construção de Residencial para Deficientes no Algarve


O Núcleo de Educação da Criança Inadaptada (NECI), sedeado na zona da Praia da Luz, no concelho de Lagos, vai iniciar, em Setembro, a construção de um Lar Residencial, com capacidade para 24 utentes portadores de multideficiências.

Contudo, necessita precisamente de 819.972 euros para completar o valor total das infra-estruturas (1.153.800 euros), além da aquisição de mobiliário e outros equipamentos hoteleiros (315.132 euros), o que perfaz um total de 1.468.932 euros para este novo empreendimento de apoio social.

O Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) atribuiu a esta obra 80 por cento do valor elegível da construção, que é de 648.960 euros.

Terá 12 quartos para rapazes e outros tantos destinados a raparigas, repartidos por dois núcleos, com casas de banho individuais e áreas que permitem a mobilidade dos utentes em cadeiras de rodas, bem como cozinha, salas de estar e escritório.

Doze funcionários prestarão apoio aos 24 utentes, os quais fazem parte do atual grupo de 30 elementos, com idades entre 16 e 42 anos, e que se encontram em regime de semi-internato na NECI.

Estes indivíduos portadores de deficiências diversas, ao nível de locomoção, da fala e mental, são oriundos dos concelhos de Lagos, Aljezur e Vila do Bispo. As despesas de administração serão suportadas com verbas resultantes do acordo com a Segurança Social, pelas mensalidades dos familiares e pelo apoio da comunidade.

«A ideia do lar surgiu em função das necessidades dos nossos clientes com pais em idade avançada, antevendo-se como tal um futuro complicado para estes jovens. Por isso, sentimos a necessidade de construir algo para eles», lembrou ao «barlavento» um dos fundadores e vice-presidente da direção da NECI, José Manuel Campos, antigo diretor da Escola nº, 1 do ensino básico, em Lagos.

No Algarve, aquele lar irá juntar-se a outros já existentes e pertencentes a várias instituições particulares de solidariedade social, nomeadamente em Faro, Tavira, Olhão, Portimão e Lagos, neste último caso a denominada Casa de Santo Amaro.

Depois da concretização daquele projeto, em 2012, a NECI aposta em construir pelo menos cinco residências autónomas com capacidade para 25 utentes.

«A selecção dos utentes será feita com base nos casos mais graves e ao nível de famílias com maiores dificuldades em ter o filho em casa», acrescentou o vice-presidente da NECI.
Fonte e informação completa: Barlavento Online.

Comentários