Associação Bahiana de Equoterapia

Prezado Eduardo,
Sou mãe de dois garotos: Yuri e Hugo. Yuri teve anoxia neonatal, deixando sequelas de moderada a severa. Com muita luta, ele contrariou parecer médico: veio a andar, se formou em publicidade e propaganda, trabalha na petrobras há 10 anos. Hugo formou-se em pedagogia, enfermagem e trabalha na equoterapia (atividade em que se utiliza o cavalo como recurso terapêutico). Ajudando Yuri a crescer... cresci também.

Publiquei dois livros, ambos na segunda edição e Institui a Associação Bahiana de Equoterapia, em parceria com a Polícia Militar da Bahia (Esquadrão de Polícia Montada) e o Exército Brasileiro (19º- Batalhão de Caçadores), onde dedico na assistência social, com o trabalho voluntário as pessoas menos favorecidas.

A entidade é mantida através de doações e,atualmente atendemos 131 crianças carentes, portadoras de deficiências: física, mental, comportamental, motora, visual e auditiva. E uma demanda reprimida de aproximadamente 500 pessoas.

Conheça um pouco da nossa história:

(depoimento de Yuri e meus livros: Minha caminhada e Minha caminhada II - equoterapia cavalgar é preciso!

Associação Bahiana de Equaterapia

Atenciosamente,

Maria Cristina Guimarães Brito
Presidente da Associação Bahiana de Equoterapia e Associação Nacional de Equoterapia (Brasil).

Comentários

  1. Excelente projeto!!
    Compartilhei com os leitores do Deficiente Ciente. Obrigada, Eduardo!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. E grande senhora! Assim se constrói uma sociedade melhor.

    Fica bem.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário